ESCLARECIMENTOS

Este material não fazia parte da realidade do meu momento atual, tornou-se aos poucos um grande sonho, que trouxe para minha vida esclarecimentos e elucidações. Por isso decidi compartilhar com outras pessoas a grande experiência que foi essa viagem a o mundo de Smallville.
Minha principal meta é apresentar um material para que os leitores tirem suas próprias idéias e deduções partindo do meu ponto de vista.
Deixo explicitamente transparente que não me julgo uma grande entendedora dos assuntos específicos de cada episódio. Mas, tenho um enorme encanto e constante interesse por esses temas. Me considero uma curiosa e uma amante insaciável de múltiplas áreas. Quero acrescentar também, que meu conhecimento e credenciais profissionais não abarcam essa gama profunda de assuntos. Para me tornar uma melhor conhecedora, apenas me deixei seduzir com o seriado Smallville e me dediquei a pesquisar cada vez mais um grande número de áreas do saber.
Para iniciar esta obra contei com a ajuda de várias pessoas que me motivaram a seguir em frente, com apoio e, sempre me preenchendo de energia, através do mais nobre dos relacionamentos: O de mestre e aluno.

domingo, 14 de setembro de 2008

QuartaTemporada - Episódio 5

· Episódio “Corrida” (4.05)
Jonathan é salvo de ser atropelado em Metrópolis por um “garoto-flash”, descobrindo que o bom samaritano aproveitou a situação para roubar sua carteira.
Para encontrar esse garoto que parece ter a mesma habilidade da supervelocidade de Clark, eles rastreiam os passos do “mão leve” pelo débito do cartão de crédito de Joanthan.
Clark descobre o hotel que o garoto está, indo até lá conversar com ele, descobre que seu nome é Bart. Sem querer muito papo, Bart desaparece, pois ele tem mais velocidade que Clark.
Ao retornara para fazenda Clark encontra Bart conversando com seu pai, estando curioso ao encontrar outro superveloz como ele. Bart conta que mora na rua, porque seus pais não conseguiram aceitar o fato de seu filho ter se tornado um “raio humano” após um acidente. Clark aproveita para dar uma lição de moral, para que Bart tenha um comportamento mais ético e não ser tão inconseqüente saindo por aí prejudicando as pessoas. Bart se defende, alegando que apenas banca o “Robin Hood”, tirando de quem tem muito para quem tem pouco, que no caso é ele.
Clark precisa deixar Bart sozinho, porque Lex o chamou na mansão para lhe mostrar sua nova aquisição.
Lex conseguiu um manuscrito do século XIV contendo uma lenda sobre a existência de um caminho para um poder incomensurável. Na Borda da antigüidade existem símbolos semelhantes ao das cavernas Kawatches. Lex convida Clark a trabalhar em conjunto com ele para desvendarem esse mistério.
Ao chegar em casa Clark conversa com seu pai sobre sua desconfiança de que o papel em posse de Lex é uma mensagem Kryptoniana, com dicas para ele achar alguma coisa extremamente importante. Jonathan acha que Clark deveria deixar esse assunto de lado e se preocupar apenas com seus estudos e tentar ter uma vida mais normal.
Clark – “ ... sair com Bart, me lembrou que não sou normal, pai. Talvez seja a hora de aceitar quem eu sou realmente e parar de fugir... Seja lá o que for que Jor-El deixou para eu achar, é poderoso, e perigoso. Especialmente se cair nas mãos erradas e eu sou o único, que pode impedir isso. (4.05)
Enquanto Clark ia ao encontro de Lex, Bart saiu para conseguir uma “lembrança” de agradecimento para Clark, por sua acolhida e hospedagem. Clark percebe que a tal “lembrança” foi roubada e se chateia por Bart não ter dado ouvido a tudo que ele tentou ensinar. Bart não querendo ouvir outro “sermão” de Clark desaparece.
Clark então volta para a mansão para olhar o manuscrito mais de perto, mas Bart o seguindo rouba o mapa, fazendo o alarme disparar.
Lex acompanhado de sua equipe de segurança se depara com Clark na frente do balcão vazio sem o mapa. Com o desaparecimento do objeto, Lex aguarda uma explicação dele. Clark diz apenas que não sabe o que aconteceu.
Lex- “Eu acredito em você. Eu sei que um verdadeiro amigo, nunca mentiria para mim.
Dizendo para Clark não se preocupar com o furto, Lex explica que apesar do manuscrito valer uma fortuna, não será fácil vendê-lo:
Lex- “Não se preocupe, Clark. Nosso ladrão aprenderá, que não há lugar no mundo que ele possa escapar de Lex Luthor.”
Bart negociou com um criminoso de Metrópolis para vender o manuscrito. O criminoso entra em contato com Lex na mesma hora. Ao chantagear Lex para reaver o papel, eles brigam e Lex desmaia. Clark aparece e impede de Bart ser baleado. Bart imobiliza Clark com a Kriptonita para fugir. Clark o chama para ajudá-lo, dizendo que a Kryptonita o está matando, Bart volta atrás e guarda a pedra, desaparecendo.
Ao fazer uma retrospectiva de tudo que lhe ocorreu, Clark se culpa de não ter conseguido fazer Bart ver as coisas por um novo ângulo e que ele reflita sobre seus atos.
Jonathan – “Eu sei o quanto queria ajudá-lo. Não pode forçar as pessoas a mudarem, não importa o quão
forte você seja.
Clark encara essas situações como um desafio não só para a pessoa que ele tenta ajudar, no caso Bart, como para ele também, porque faz com que ele veja a vida por um ângulo diferente:
Clark – “ É que às vezes tem uma parte de mim, que queria ser como ele. Passo tanto tempo tentando
esconder quem eu sou que eu pareço duas pessoas distintas.
Jonathan - Clark, acho que se surpreenderia se soubesse quantas pessoas normais se sentem exatamente assim.
Todos têm segredos, só que os seus são um pouco maiores...”
Bart mostrando que as palavras de Clark não foram em vão, devolve o manuscrito na mansão Luthor e vai se despedir de Clark na fazenda. Clark convida Bart para ficar morando com eles. Bart agradece, mas prefere “correr” o mundo:
Bart – “ Clark, obrigado por ser meu amigo.”
Clark ao ajudar Bart se sentiu emocionante gratificado ao poder contribuir com a formação de um caráter mais digno, refletindo mais sobre suas atitudes.
“ Descobri que o mais alto grau de paz interior decorre da prática do amor e da compaixão. Quanto mais nos importamos com a felicidade de nossos semelhantes, maior o nosso próprio bem estar. “ (Dalai Lama)
Clark foi pego no local do roubo de uma peça valiosa de Lex e este mostrou acreditar na declaração de Clark, por mais que as circunstâncias mostrassem o contrário. Revelou que sua amizade é tão forte que acreditou nele sem precisar que ele provasse nada, a ética da amizade foi suficiente forte para sustentar suas palavras.
“Não pode haver amizade sem confiança, nem confiança sem integridade” (autor desconhecido)
Bart ainda mostrou para Clark que cada pessoa que possui dons ou capacidades especiais, não devem teme-las, ajudando Clark não esquecer que sua vidas têm um propósito.
´Uma pessoa de raros dons, obrigada a fazer um trabalho apenas útil, é como um jarro valioso, com as mais lindas pinturas, usado como pote de cozinha."”(Artur Schopenhauer)

Nenhum comentário:

 

smallville

superman

super homem

clark kent

kansas
krypton